Sempre gostei de assistir o boxe.Não que eu goste da violência, mas admiro a técnica, a velocidade e as estratégias.Mohamed Ali demonstrava a cada apresentação um espetáculo de habilidade e talento, mas principalmente de treino. Hoje, é notável que as luvas vermelhas bem fechadas (próprias para o inverno) perderam o seu espaço para as pretas (de verão) do MMA.

As cordas se foram e as grades circulam.O retângulo se foi o octógonofirma os passos. Se a estrutura não é mais a mesma,os esportistas se mantém. Ainda vejo o mesmo espetáculo. Se o sinônimo de boxe é Mohamed Ali, o de MMA é Anderson Spider Silva. Se Spider se parece em muitas vezes com Ali, é simplesmente porque sempre sonhou em ser Ali.

O que os dois têm em comum não é simplesmente o talento, mas a vontade de ser o maior. Com a vontade de ser grande a dedicação nasce. Assim as semelhanças aumentam, pois se o objetivo é ser o melhor, o caminho é o mesmo. Esse caminho percorrido chama-se treinamento.

O que os dois têm em comum é muito treinamento e dedicação. Quando vemos o Anderson esquivando com a guarda baixa em frente à ex-campeões, e de relance soltando um direto de direita como se fosse um tapa bobo, pensamos: Mas que fácil!Já pensou o quanto é preciso treinar para chegar à um nível de jogo desses?

Mudando de MMA para outro esporte ligeiramente conhecido dos brasileiros, futebol. Não vou falar de futebol profissional, mas do futebol que pratico (ou pratiquei um dia) e que qualquer um pratica por ai. Já fui de jogarmais de uma vez por semana e lembro que em alguns jogos eu era demais, simplesmente o melhor, como diria no popular, comia a bola. Era como um Spider de guarda baixa esquivando dos melhores do mundo.

Hoje em dia jogo futebol muito raramente, mas muito raramente mesmo,e não que eu tenha esquecido como se joga, sei exatamente como jogar, mas não pratico futebol há muito tempo.Quando entro num campo para uma pelada, vejo a bola correndoem minha direção e, enquanto ela caminha, já seiqual jogador do meu time está mais bem posicionado para o passe, para qual lado virar e com que pé vou dominar a bola. Tudo está desenhado na minha cabeça, mas o que acontece quando a bola realmente chega em mim?

Muito tempo sem jogar futebol faz meu cérebro pensar, mas as pernas não obedecerem. A desculpa sempre é do tipo: Essa bola é muito leve! ou O campo ta molhado! Muito tempo sem jogar faz com que o resultado não seja o mesmo na hora do jogo. Por falta de treinamento que minha relação com a bola anda meio abalada.

A oração é a chave do céu, ela me leva para a fonte do amor, sinto paz, alegria e me livro do temor, não posso viver, sem TREINAR com meu senhor! Música de Daniel D. Salles.

Porque, em muitas vezes, estamos em jogo tão bem posicionados e recebemos um passe tão preciso mas não conseguimos dominar e chutar para o gol? Quantas vezes recebemos um passe e ficamos cara a cara com o gol, mas na hora do chute, inexplicavelmente erramos? A culpa é sempre da palavra azar, mas na verdade me diga, há quanto tempo não tem treinado?

Tenho recebido de Deus muitos passes, claro que os mais perfeitos que podia receber, e quando me deparo com o goleiro, já caído, posso ver Deus na expectativa para comemorar um gol abraçado comigo. E eu simplesmente perco a chance. Muitos são os presentes nesses lances imperdíveis que ele me concede na vida, até quando ainda vou errar? Até eu entender que para acertar o gol eu preciso é gastar tempo com treinamento.

Bom, treinar para jogar bola é fácil, realmente. Pega-se uma bola, mira em um gol e pimba! Simples, faça isso muitas vezes e terá, com muita prática, um resultado melhor. Mas e como fazer isso com a oração? Não foi à toa que os discípulos pediram uma aula de oração para Jesus, realmente é uma dúvida que todos os Cristão têm ou tiveram em algum momento na sua vida.

Certo dia estava Jesus orando em determinado lugar. Tendo terminado, um dos seus discípulos lhe disse: “Senhor, ensina-nos a orar, como João ensinou aos discípulos dele”.Lucas 11:1

Através da oração compartilhamos nossos sonhos, nossas vontades, abrimos nosso coração e recebemos poder. Oração é abrir o coração. Assim como o treino do futebol, precisamos ficar atentos aos obstáculos que nos afastam dessa prática: sono, televisão, diversão, computador, falta de disciplina, preguiça e a pior delas, a auto-suficiência. Lutero dizia que quanto mais atividades o nosso dia tivesse, mais ainda devíamos gastar tempo com Deus: “Na verdade tenho tanto trabalho a fazer que passarei as primeiras três horas do dia em oração.”

Os homens que tomaram as decisões certas nos momentos decisivos treinaram (oraram) muito e gastaram tempo com Deus, para que no momento que precisassem que as coisas fossem feitas, acontecessem sem nenhuma dúvida, nenhuma falha, mas com a perfeição que o treinamento os dava.

Treine, pois “não há tempo nem lugar impróprios para erguer a Deus uma prece. Nada há que nos possa impedir de alcançar o coração no espírito de oração sincera. Entre as turbas de transeuntes na rua, em meio a uma transação comercial, podemos elevar a Deus um pedido, rogando a direção divina,_. Devemos ter constantemente aberta a porta do coração, erguendo sempre a Jesus o convite para vir habitar nossa alma, como hóspede celestial” Caminho a Cristo, p.99

Ah, quer saber qual foi a resposta de Jesus ao pedido do seu discípulo? Ele disse, façam mais ou menos assim: “Pai nosso, que estais nos céus, santificado seja teu nome, venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje, perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos os nossos devedores. Não nos deixe cair em tentação, mas nos livra do mal, amém!”

Que tal começar a treinar assim?

Advertisements