Nunca fale menas, iorgute, mortandela, mendingo, trabisseiro, asterístico e meia cansada (ai menina). Saiba que mal é o oposto de bem e mau é o oposto de bom. Trezentas gramas só se estiver falando da quantia que quer comer do pasto. Se estiver falando de peso, então é O grama: trezentOs gramas. O certo é basculante e não vasculhante (seu enxerido). Se você estiver com muito calor, poderá dizer que está suando (com u) e não soando, pois quem soa é sino.

A casa é geminada (do latim geminare = duplicar) e não germinada que vem de germinar, nascer, brotar (desabrochar o jovem mancebo). O peixe tem espinha e não espinho, as plantas têm espinhos. Homens dizem obrigado e mulheres obrigada. Faz dois anos que não o vejo e não fazem dois anos. Havia muitas pessoas no local e não haviam. Pode haver problemas e não podem haver. Nada pessoal meu amigo (a), é que os verbos fazer e haver são impessoais. Problema e não poblema ou pobrema. Haja vista (que se oferece à vista) e não haja visto.

Agente pode estudar essas coisas para não errar certo? Errado! A não ser que seja um agente secreto, aduaneiro, de viagens… a gente = nós. Você pode ficar com dó de alguém, mas nunca com uma dó. Só use dó (no feminino) se o maestro Daniel Salles lhe pedir.

Só um minutinho, tocou o telefone aqui.

Alô, com quem você quer estar falando? (O correto e simples é: com quem você quer falar?) Ao telefone não use: vou estar chamando. Prefira um peraí, agüenta aí, só um pouquinho ou então SEJE mais educado e ESTEJE fazendo o correto.Claro que eu tenho muitas dificuldades no português, todas essas coisas que estou debochando aqui em cima já me fizeram vítima, uma simples revisada nos meus textos e eles aparecem, aliás, algumas coisas eu só aprendi escrevendo esse post de hoje.

Mas também, esse português é difícil. De uma hora pra outra acabaram com a tal da trema, alguns acentos foram retirados e eu até agora nem sei em que momento eu deveria ter usado esses extintos mecanismos. De uma hora pra outra resolvi escrever na vida (sempre sobre o que vivo) e hoje me preocupo com as vírgulas, acentos etc. Saber que a crase é a junção do artigo e saber que isso na verdade é uma contração dada na junção de uma preposição com outra palavra (barbaridade, nessa frase de quase duas linhas já me perdi) é muito difícil. Será que não tem uma fórmula para saber quando usar ou não essa bendita crase?

Google diz: nunca use crase… Antes de palavras masculinas, pronomes pessoais, nomes de cidade que não utilizam o artigo feminino, palavra casa quando tem significado do próprio lar, palavra terra quando tem sentido de solo e de expressões com palavras repetidas (dia a dia) e antes de verbos. Verbos? Esse é o nome dado à classe gramatical que designa uma ocorrência ou situação, ele que determina o tipo do predicado, que pode ser predicado verbal, nominal ou verbo-nominal. Para EU fazer, para EU comprar, para EU comer e não para MIM fazer, para MIM comprar ou para MIM comer. Isso porque MIM não conjuga verbo, apenas eu, tu, eles, nós, vós, eles.

Você sabe conjugar os verbos?

No começo era aquele que é o verbo. Ele estava com Deus, e era Deus. Ele estava com Deus no princípio. João 1: 1 e 2

Não falo de um verbo qualquer, é claro que importa a forma como escrevemos, como nos comunicamos, mas nunca podemos deixar de falar por medo de errar na escrita, basta acertar na mensagem. Me preocupo com as vírgulas e acentos, mas mais ainda com a conjugação do Verbo, daquele que é o Verbo. Voltando ao português, o verbo pode designar ação, estado ou fenômeno da natureza.

Aquele que é o verbo tornou-se carne e vive entre nós. João 1: 11

E o nome pelo qual se chama é o verbo de Deus. Apocalipse 13: 13

Ele estava com Deus no princípio, seu nome é Jesus. Ele se fez carne e correu ao mundo não para nos ensinar simplesmente a conjugar o verbo, mas para nos mostrar a real funcão dele, desiginar uma ação. Precisamos aprender a conjugar o verbo sem egoísmo, partir para a ação em busca de sucesso na nossa missão. Quando Ele veio a esse mundo viu homens conjugando o verbo de maneira errada, eles diziam:

Eu te amo | Tu ME amas | Ele não te ama | Nós estamos salvos | Vós perdidos | Eles mais perdidos ainda

E a única forma de conjugar o verbo, de agir como o próprio Verbo nos pede é prestando atenção no Professor, não o Pasquale, mas o Filho que veio a esse mundo exatamente com essa função, nos dar o exemplo arrancando as palavras das escrituras e tornando-as vivas em ações. Voltando ao português além de indicar ação, o verbo também serve para ligar o sujeito ao predicado. Você é o sujeito, Deus o predicado e Jesus Cristo veio aqui, como um exemplo de ação para te unir ao Pai.

O que era desde o principio, o que ouvimos, o que vimos com nossos olhos, e que contemplamos e as nossas maõs apalparam – isto proclamamos a respeito do verbo da vida. 1 joão 1: 1

Jesus Cristo é o grande Verbo que une o sujeito ao predicado. Devemos agir nos importando menos com a forma de falar, mas deixando a grande mensagem vir a tona. Sem medo como o exemplo de Jesus Cristo, para que muitos outros sujeitos se encontrem com Ele.

Advertisements