Onde é o lugar de criança dormir? Onde é mais seguro? No seu quarto e na sua cama! Pois bem, eu como sou uma criança rebelde resolvi a alguns dias atrás dormir fora da bolha protetora desfrutando do entretenimento divertido, sensacional e intelectual proporcionado pela televisão. Desfrutei foi dos besteiróis BBB’s. Fico feliz quando vejo esses programas, você também deveria ficar, pois é um incentivo pra que busquemos a cada dia mais por livros e filmes bons.

Preparei meu colchão na sala, em frente a caixa de luz que estava programada para desligar, assim quando eu me cansasse apenas desligava a vista. O conteúdo da programação estava tão atrativo que acabei desligando o brinquedo antes de cansar as pálpebras. Coberto e preparado pro ronco (mentira, pois eu não ronco), eu me concentrei em apenas descansar.

Foi nesse momento que escutei um barulho terrível, pior que uma britadeira, era um bicho, um monstro com azas dando rasantes no escutador direito, no esquerdo, ameaçando entrar no meu nariz e sentando em alguns momentos na minha testa. Que pernilongo desgraçado.

Tentei me livrar dele, mas era ligeiro, me afrontava, chegava a me encarar sentado na ponta do meu nariz e voava. O mais ágil que eu conheci, chegava a 130 km/h. Não tinha o bendito mata inseto em casa, acabou a alguns dias. Imagine você em uma guerra e acaba a munição? Terrível! Mas com calma, sem me apavorar esperei o sem vergonha sentar, ele se acomodou no teto ao lado do lustre. Agora sim, posicionei a banqueta, subi, com um chinelo na mão mirei e pimba. Quando tirei o chinelo da prensa estava lá o bicho, mas dessa vez mudo, para sempre.

Finalmente o sonho de ter sonhos tranquilos seria realizado. Engano meu, pois não era só um mosquitinho, era uma dupla missionária. Outro apareceu. me incomodou, e ai não adiantou levantar e ficar de tocaia com o chinelo na mão, pois esse além de rápido era meio “Ghost” (lembram do filme?), a raquete de choque não funcionava, transpassava o vulto. Depois de derrubar alguns porta-retratos tomei a decisão mais sábia, correr pro meu ninho. Esgotado, sem forças pra lutar contra um minúsculo mosquitinho resolvi voltar pro quarto bonito azul e amarelo que meu pai pintou pra mim.

“Eu sou a videira; vocês são os ramos. Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dará muito fruto; pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma.” João 15:5

Saímos para o mundo como crianças rebeldes procurando por diversão. Depois nos deparamos com armadilhas, com monstros que tentam nos derrubar voando ou mesmo na rasteira. Caímos e com nossas próprias forças tentamos nos levantar, em vão. Não importa o quanto seja forte, sem Deus um pernilongo pode te derrubar. Nessa hora lembramos que na casa do Pai temos um quarto aconchegante esperando e quando quisermos fugir dos mosquitos que nos atentam na sala, basta correr pra ele, estará sempre ali.

“Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que O amam” 1 Coríntios 2:9

Na sala do mundo, assim como da casa, apenas festa. Mas o que Deus preparou você jamais poderá imaginar, porém se quiser conhecer, corre que o quarto está aberto e foi preparado pra você.

Advertisements